Sobre “Nascimento e o impulso que faz mover” – para e por Alex Félix